QUINTA - 25 FEV

 10h30 

Problemas com o vídeo? Acesse aqui no YouTube

  • YouTube

Espetáculo A Mulher que Matou os Peixes

Apresentações Infantis - Ninho FLIPF

 

A Mulher Que Matou os Peixes – Uma Pop-Bossa Samba’n Roll, é um espetáculo cênico-musical que traz um diálogo inédito entre o texto original de Clarice Lispector  e as músicas de Vinícius de Moraes e Toquinho que, juntos, se preocupam em discutir problemas da experiência humana, aparentemente infantis e inofensivas, mas singulares para a formação e humanização das crianças. Com dramaturgia e direção de Djalma Thürler, o musical traz Clarice, vivida pela atriz e cantora Maira Lins, e nessa peça conta a história de um crime. Porém esse é apenas o pretexto para convidar e conduzir o espectador por um mundo carregado de humanidade, num jogo delicioso e de extrema sensibilidade para concluir que a falha, o lapso, o erro e o esquecimento são inerentes a homens e mulheres; um convite a se pensar sobre a importância da cultura para a infância e no movimento da própria vida, que é composto de alegrias e tristezas, perdas e ganhos, idas e vindas.

“A mulher que matou os peixes” tem assinatura da cia ATeliê voadOR TEATRO e estreou em Salvador no ano de 2016 e desde então tem se apresentado em inúmeras festas literárias no estado da Bahia e em Festivais de Teatro para a Infância do país. Sua última temporada foi no CCBB de São Paulo, entre novembro e dezembro de 2019, dentro da MiriM – Mostra Nacional de Teatro para Crianças Grandes e Pequenas, patrocinado pelo Banco do Brasil.

“A mulher que matou os peixes” é parte estratégica de um projeto de ampliar o acesso da infância às temáticas contemporâneas, compreendendo a criança como sujeito e consolidando a sua capacidade de fazer nexos interdisciplinares, potencializando a compreensão de fatos, questões, invenções, avanços e conquistas científicas, sociais, culturais, artísticas e tecnológicas da humanidade.

Sobre os ministrantes:

MAIRA LINS é Cantora, compositora e atriz baiana, de forte identidade popular, traz um histórico com grande diversidade de trabalhos musicais como o Coral Vozes Reveladas (Maestro Sérgio Souto), Carnaval de rua (Puxadora de microtrio -Boteco Elétrico) com a “Jamba-Jam de Samba” com shows em vários locais do país. Cantora de banda baile e empresas de casamento, Maira é uma interprete marcante, e costuma dizer que o “canto” levou-a ao teatro musical, tendo atuado em “CORAL-Uma Etno-Cena-Grafia”(Ateliê Voador), “Gonzaguinha - O Eterno Aprendiz”, em temporadas nacionais,  “Ivan Lins em Cena”(Teatro Folha-SP) e “Cabaret das Fulanas” – com Cia de Circo Luana Serrat em temporada em Espaços culturais da cidade. Em 2016 estreou “A Mulher Que Matou os Peixes”, da Ateliê Voador Cia de Teatro. Na cultura da infância, gravou o CD “Cantigas de Infância”, pesquisa de cantigas de domínio público do Recôncavo baiano e criou o PUMM-Por Um Mundo Melhor, grupo musical e brincante. Em 2017 estreou seu trabalho autoral no Teatro Gamboa Nova- o show "Voz Morena"

 

DUDA WOYDA é Ator, Dançarino, Produtor e Mestre e Doutorando em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia. Pesquisa questões relacionadas ao teatro físico e a sua relação entre dramaturgia corporal, gênero e teatralidade. Pesquisador da ATeliê voadOR TEATRO, premiado como Melhor Ator no Festival Curta Cena 2014 e no Festival Nacional de Teatro do Piauí. Com o espetáculo “O Diário de Genet”, passou por 17 estados brasileiros e 04 países (Argentina, Chile, Cuba e Colômbia). Últimos trabalhos como ator: “Que os outros sejam o Normal (2018), com direção de Djalma Thürler; “Escorpião”, com direção de Marcus Lobo; e os solos “O outro lado de todas as coisas” (2016), com direção de Marcus Lobo e Rafael Medrado; e “Caio F. em casa”, com direção de Marcus Lobo.
 

MARCUS LOBO é Formado em Direção Teatral pela Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia. Pesquisador da ATeliê voadOR TEATRO e do Coletivo COATO. Dirigiu “Arquivo 64/2015 – Porões da Ditadura”, “Maçã – um acontecimento cênico” (ao qual foi indicado como diretor Revelação no Prêmio Braskem de Teatro de 2017), “O outro lado de todas as coisas”, “Eu é Outro: Ensaio Sobre Fronteiras”. Recentemente fez uma Residência Artística sobre métodos de atuação e preparação para cena com mediação tecnológica/telemática na Oficina Cultural Oswald de Andrade com a Companhia PHILA7 (SP) e GP Poéticas Tecnológicas (BA). Designer de luz em espetáculos como “O diário de Genet” (2013), “Três Cigarros & A Última Lasanha” (2015), “Avesso” (2016), “Menu” (2016), “O outro lado de todas as coisas” (2016), “A mulher que matou os peixes” (2016), “Uma mulher impossível” (2017) e “IYÁ-ILU” (2017).


DJALMA THÜRLER é especialista em gestão e políticas culturais pela Universidade de Girona (ES), Investigador Pleno do do CULT - Centro de Pesquisa Multidisciplinar em Cultura, da UFBA, Investigador Associado do CLAEC – Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura e Investigador Colaborador do ILCML – Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, da Universidade do Porto (Portugal). É diretor artístico e dramaturgo da ATeliê voadOR TEATRO. Possui estágio de Pós-Doutoramento em Literatura e Crítica Literária pela PUC São Paulo. É Professor permanente do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade e Professor Associado do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) da Universidade Federal da Bahia. Tem experiência na área de Artes, Direção Teatral, Literatura Brasileira, Dramaturgia, Gestão e Produção cultural. Coordena o CuS – grupo de Pesquisa em Cultura e Sexualidade (UFBA).

 

Classificação etária: LIVRE

 

1/8

Adquira os livros 
da 2ª  FLIPF

Durante a FLIPF, alguns livros dos autores e autoras participantes estão à venda no site da Livraria LDM com desconto. Confira!